Início » Sem categoria » Trindade e Originais – Perguntas Intrigantes. Confira!

Trindade e Originais – Perguntas Intrigantes. Confira!

Categorias

Para Pensarmos

"De modo diferente de muitos evangelistas modernos, que tem enriquecido, Moody era homem simples e honesto no tocante ao dinheiro, como em tudo o mais. Não aceitava lucros. Todos os proventos das vendas do hinário de sua autoria e de Ira D. Sankey eram administrados por uma junta de encarregados e eram destinados principalmente para o sustento das escolas de Northfield. Aproximando-se o tempo de sua morte, Moody era homem relativamente pobre. Ele declarou: 'Minha esposa e meus filhos simplesmente terão de confiar no mesmo Deus em que tenho confiado'". R. N. Champlin. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. vol. 4: Candeia, 1991. p. 355.

Prezado(a) Leitor(a), parece que cada vez mais vem crescendo o número de pessoas que contestam a Doutrina da Trindade, um dogma central da fé cristã ao longo de dois mil anos. Muitos, para negar tal dogma, recorrem (recorrem!?) às línguas originais da Bíblia Sagrada, afirmando que este e aquele texto usado para corroborar a Doutrina da Trindade, “não está nos originais”. Preocupado com isso, entrei em contato com alguns teólogos. Copio abaixo a resposta que considerei a mais esclarecedora, que vem da SBB, a Sociedade Bíblica do Brasil que considero ser uma autoridade em termos de tradução e línguas originais. Abaixo, vem primeiro o e-mail original que enviei e depois a resposta, gentilmente enviada pelo setor de Tradução, Revisão e Consulta da referida instituição.

Meu e-mail com as perguntas sobre o referido tema:

Prezado teólogo! Saudações cristãs!
Sou apaixonado pela área de tradução bíblica e crítica textual, embora leigo em línguas originais. Gostaria de lhe pedir uma opinião sobre um assunto que vem me preocupando muitíssimo. Tenho visto muitas pessoas criticando dogmas centrais da fé cristã, como por exemplo, a Doutrina da Trindade, usando para isso a conhecida argumentação de que “não está nos originais”. Todavia, acho essa argumentação um tanto injusta e até improcedente, quando consideramos fatores como os que alisto abaixo:

– as traduções da Bíblia, as mais recentes, como bem sabemos, foram produzidas por comissões inteiras de estudiosos – então todos eles erraram?
– os manuscritos bíblicos, como bem sabemos, estão na casa dos milhares e há várias famílias deles – não seria, então, no mínimo, perigoso, afirmar que “não consta dos originais”? (sei que alguns críticos textuais chegam a afirmar que determinados textos de fato não constam, todavia, permanece a dúvida, pois esses textos são minoria).

Peço a sua atenção e gentileza de me ajudar com sua verve teológica, nesse assunto.

Obrigado desde já!

 

Agora, o e-mail com a resposta da SBB:

Estimado irmão,

Obrigado por seu contato.

Como o irmão bem coloca, as boas traduções da Bíblia são feitas por comissões compostas por várias pessoas de diferentes denominações. Isso dá ao trabalho transparência e isenção, especialmente na questão doutrinária. Além disso, procura-se usar os melhores manuscritos bíblicos existentes, e para isso a Sociedade tem usado a Biblia Hebraica Stuttgartensia (para o AT) e o Novo Testamento Grego UBS (para o NT). Especialmente no Novo Testamento, há de fato muitas variantes textuais, documentadas e discutidas nos aparatos críticos, o que permite um bom grau de certeza quanto ao que é texto original ou não.

No caso da doutrina da Trindade, há algum tempo a SBB recebe questionamentos sobre Mateus 28.19. Alguns afirmam que se trata de uma adição da Igreja Católica, mas isso não procede. Não há qualquer dúvida quando à autenticidade do texto em questão. Além disso, a fórmula trinitariana (“Pai, Filho e Espírito Santo”) que aparece em Mt 28.19 repete-se em 2Co 13.13. Nos textos em questão, não houve qualquer acréscimo ou corte, visto que nenhum manuscrito grego do Novo Testamento traz qualquer dúvida de que o texto seja este mesmo. Em outras palavras, “Pai, Filho e Espírito Santo” estão nos textos originais, quer em Mateus, quer em 2Coríntios. A única pequena adição que alguns poucos manuscritos fazem a estas duas passagens é um “Amém” (no final do v. 20) como conclusão dos mesmos, o que comprova o uso litúrgico e cúltico destas passagens desde os tempos da igreja apostólica primitiva.

Que Deus o abençoe.

Fraternalmente em Cristo,

p/ Comissão de Tradução, Revisão e Consulta
Sociedade Bíblica do Brasil

 

ATENÇÃO: TANTO O MEU E-MAIL ORIGINAL, ENVIADO, COM AS PERGUNTAS, COMO TAMBÉM A RESPOSTA ENVIADA PELA SBB, FORAM COPIADOS NA ÍNTEGRA, SEM SOFRER NENHUMA ALTERAÇÃO.

Em Cristo,

Roney Ricardo

Anúncios

6 Comentários

  1. izaias De Sousa Oliveira disse:

    A paz do Senhor Dr. Roney !

    Fico muito feliz, em conhecer pessoas com o seu conhecimento , zeloso, com assuntos tão importantes como o discutido. Realmente comprova que a Bíblia é inerrante e digna de toda confiança. Ela é a bússola, que guia o Cristão, rumo ao lar celestial.

    Curtir

  2. roni vc é o cara ,,,,,deixa Deus te usa nesta caminhada linda ,,,do estudo da palavra

    Curtir

  3. wervegton falcao disse:

    devemos sempre esta pronto para esclarecer a verdadeira trindade sobre o qual temos a visão em que Deus deixou para que nos acreditássemos na existência do criador

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: